sábado, 25 de abril de 2009

"Quando levei uma rasteira, eu..."

Essa foi a frase que a reportagem da Marie Claire (edição de abril) pediu para que algumas mulheres solteiras, com idades a partir de 30 anos e bem-sucedidas, completassem. É óbvio que a gente vai logo pensando em como completaria a frase com a nossa história de vida. E haja linhas para contar o que já vivemos e como nos levantamos desde quando levamos a nossa rasteira!
O melhor é perceber que sobrevivemos. E que tem mais pessoas que passaram por problemas parecidos e, como nós, ou estão levantando a cabeça, ou já deram a volta por cima. Porque a gente sempre acha que as coisas ruins só acontecem com a gente.
A matéria tem quase o efeito de uma sessão de terapia (embora, infelizmente, eu nunca tenha feito nenhuma). Ela traz dados como: "30% das brasileiras entre 30 e 39 anos de idade estão solteiras. Ou seja, há simplesmente 1.162.000 garotas na mesma situação que a gente".
A reportagem é leve, como deve ser a nossa vida. Sem pressões por conta de relógio biológico, amigas casadas, sociedade machista e coisas do tipo.
Somos solteiras e felizes, mas não estamos fechadas para um relacionamento. Só ficamos mais exigentes e aprendemos a não pegar qualquer cafajeste que nos olha diferente.
A matéria completa você enccontra em http://revistamarieclaire.globo.com/Marieclaire/0,6993,EML1697832-1740,00.html

Boa leitura!

Um comentário:

Tiago disse...

Hum... farei um comentário bem "House". Isso tá parecendo alguma indireta. *-*

Bjos Ana!! Bom final de semana =)